Melhor ler certas coisas do que ser cega. Ou não.

Eu fico bastante incomodada quando vejo feministas falando impropérios sobre o feminismo radical por ignorância e desconhecimento do movimento. Mas ver um homem dizendo que o feminismo radical tinha que ter morrido nos anos 70 e que a necessidade de protagonismo é questionável me deixa muito, mas muito ofendida.

Ontem, eu infelizmente topei com o texto abaixo, e quis enfiar garfos nos meus olhos.

http://hollowfang.wordpress.com/2013/05/18/os-problemas-estruturais-do-feminismo-radical/

Mas antes de continuarmos, uma mensagem de nossos patrocinadores:

Voltando ao texto. Problemas Estruturais do Feminismo Radical. Se você já achou ruim um homem querer apontar problemas no feminismo, segura firme na minha mão, que a coisa só piora.

Eu tenho algumas observações mais gerais sobre o feminismo de segunda onda e por que ele deveria ser deixado nos anos 70.

Amigo, eu sei que você está todo feliz que as meninas deixaram você brincar de feminista, mas por favor, estude um pouco antes de sair falando essas coisas. Não reconhecer a importância e a necessidade de uma vertente que critica ativamente a prostituição, a pornografia, o tráfico de mulheres, a violência sexual, os papéis de gênero, é ridiculamente absurdo. E lembre-se que, sem a segunda onda do feminismo, não existiria a terceira onda.

Por favor, não fale mais esse tipo de besteira em público.

Muito se reclama do mansplaining, o hábito insuportável de homens que acham saber mais sobre o sofrimento das mulheres que as próprias mulheres, querem explicar melhor que elas pelo que elas passam e se colocam no direito de dizer o que elas devem ou não considerar ofensivo. Esse hábito que tanto é rechaçado pela comunidade feminista como um todo foi substituído entre as radfems pelo cisplaining.

Muito se reclama do mansplaining, então deixa eu fazer um texto explicando para essas feministas o problema do movimento delas. APENAS. NÃO.

Vou confessar que desde quando surgiu a discussão do protagonismo feminino alguma coisa já me soava estranha nesse discurso. A premissa é totalmente válida: se for para existir protagonismo na luta feminista (a necessidade de protagonismo é bastante questionável), ele precisa ser feminino.

A necessidade de protagonismo é bastante questionável

A necessidade de protagonismo é bastante questionável

A necessidade de protagonismo é bastante questionável

Sim, vocês leram certo. É um homem dizendo que a necessidade do protagonismo feminino dentro do próprio movimento é questionável.

A única coisa bastante questionável dentro do feminismo é a presença de homens, ainda mais se forem como você que acham que a voz masculina deve ter tanto peso quanto a voz feminina.

Tenho visto casos onde se defende que a opinião de uma mulher SEMPRE é mais importante que a de um homem dentro do feminismo. Isso me preocupa bastante.

Me preocupa bastante o fato de que, apesar de eu ter voz em todos os setores da sociedade, essas feminazis malvadas queiram me calar no movimento delas, snif.

Pausa para eu tomar meus bons drink de lágrimas masculinas.

TL;DR: Homem “feminista”dizendo que o feminismo radical tem problemas por não aceitar que a voz masculina tenha tanto peso quanto a feminina, entre outros absurdos.

Você não é feminista. Você é machista e não é bem-vindo no feminismo radical. E não deveria ser bem-vindo em feminismo algum.
O choro é livre.

Advertisements

9 thoughts on “Melhor ler certas coisas do que ser cega. Ou não.

    • Só faltou você entender que feministas radicais não acreditam em CIS e que logo sua argumentação tem zero relevância?

      Mas continue, hoje eu ainda não bebi minha dose de lágrimas masculinas. :)

  1. Você não acredita e isso é motivo para tratar os outros como bem entender? Posso tomar uma relação similar com o feminismo e tratar as mulheres como bem entender?

    E não lembro de ter dito que era homem ;3

  2. Esse é o primeiro blog de feminismo radical que não tem textos transfóbicos. Afinal existe luz no fim do túnel! Espero que não compensem a falta de transfobia nos textos nos comentários.
    Quanto ao texto concordo com o tom paternalista e com diversas generalizações. Também gostei do outro texto que critica o saiaço da usp.

  3. afffffffff
    “no uterus no opinion”?
    que legal ver feministas se tornando o monstro que deveriam combater.
    fazer bashing no texto do cara, que levanta questões pertinentes, realmente contribui para o debate.
    parabéns, só que não.

    • Pois é. Coisas deste mundo horroroso que vivemos onde as pessoas tem o direito de discordar umas das outras.

      Se eu quisesse debater, teria ido comentar no blog dele, não acha?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s